Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Neymar será capitão da seleção brasileira no jogo contra o Paraguai

Data da Postagem: 28/03/2017 | Fonte: UOL
(Foto: Divulgação).

Neymar vai ser o capitão da seleção brasileira no jogo desta terça-feira (28), contra o Paraguai. O jogador explicou que decidiu voltar a vestir a faixa por causa de Tite.

"Foi uma decisão que eu tive após as Olimpíadas por  por tudo o que ouve, e tudo o que aconteceu. Não era o momento de eu exercer aquela função, de ser o capitão. E ao decorrer dos meses, do tempo, de trabalhar com professor Tite, além do grupo ser maravilhoso... acho que é por ele (Tite) que vale qualquer esforço. Qualquer meta. É um cara que eu admirava de longe e passei a admirar ainda mais. E tem a confiança de todos. Ele me escolhendo como capitão eu fico muito feliz", afirmou o jogador em entrevista coletiva.

"Há um tempo, ele tinha conversado comigo e fez eu pensar. E não só no pensar, mas no modo de agir, trabalhar e de viver no jeito da seleção. Tem muita coisa para acontecer aqui. O rodízio que o professor faz dos capitães. Sempre fala para usar a braçadeira e um cara pode ser capitão sem usar a braçadeira", completou.

É a primeira vez sob o comando do novo treinador que o camisa 10 foi escolhido para usar a braçadeira. Contra o Uruguai, na vitória por 4 a 1 em Montevidéu, o selecionado foi Miranda.

Em novembro, Tite revelou em entrevista ao UOL Esporte que Neymar estava pronto para voltar a ter essa função. Isso porque o próprio jogador havia afirmado após a conquista do ouro olímpico que não pretendia mais usar a faixa.

Em entrevista, o comandante explicou porque voltou a colocar o camisa 10 para ser capitão.

"Ele merece a tarja, é líder técnico e é um garoto em um processo de amadurecimento que tem uma série de pressões por vezes desumanas. Na Olimpíada, tudo era Neymar. Mas o futebol é um conjunto e faz parte ele roubar a bola. Para a equipe construir e ele fazer o gol. Por isso que cada um de nós tem essa responsabilidade e é por isso que eu faço rodízio. E essa maturidade ele mereceu aqui", explicou.

"Ele tomou mais de 50 faltas nos últimos três jogos e ficou voltado ao jogo. Ele sabia que o Coates (zagueiro do Uruguai) estava com cartão e o Coates ia ser expulso naquele empurrão. Ele sustentou a falta e optou pela chance de gol. E esse processo de trabalho de equipe e talento de sobra o credenciou aqui", completou.

Ele já havia sido capitão durante boa parte da Era Dunga. Para o ex-treinador, a seleção precisava de uma nova liderança técnica em um momento de renovação após o vexame da eliminação na semifinal da Copa, contra a Alemanha.

Além de Neymar, a Era Tite já teve Miranda (duas vezes), Daniel Alves (duas vezes), Renato Augusto, Filipe Luís e Fernandinho como capitão.




Untitled Document
© NAVIRAÍ EM FOCO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS