Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Mais de 480 pessoas ganham prazo maior para agendar perícia

Data da Postagem: 07/08/2017 | Fonte: Correio do Estado
(Foto: Divulgação).

O prazo apertado para que 483 pessoas em Mato Grosso do Sul agendassem perícia no INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) acabou estendido. O Ministério do Desenvolvimento Social (MDS) divulgou nota no sábado informando que o limite para realizar o procedimento é até 21 de agosto.

Quem não remarcar a avaliação vai perder o benefício de auxílio-doença ou aposentadoria por invalidez que recebe.

O Ministério do Desenvolvimento Social divulgou que o INSS vai considerar a notificação depois de 15 dias da publicação feita no Diário Oficial da União. Somente após esse período começarão a contar os cinco dias corridos para que os beneficiários entrem em contato com o órgão. Somando-se todos os prazos, a nova data limite ficou estabelecida para 21 de agosto.

Inicialmente tinha sido dado cinco dias úteis a contar o dia 1º deste mês. Desse modo, o prazo final seria até esta segunda-feira (7).

Os nomes dos notificados foram publicados no Diário Oficial da União de terça-feira. Para agendar a perícia é preciso ligar no telefone 135 ou acessar o link da Previdência Social.

O anúncio da revisão de benefícios foi dado em julho do ano passado e no Estado 4.333 cartas foram enviadas convocando pessoas que recebem o auxílio-doença. Desse total, 1.157 passaram por perícia e 154 não compareceram, com isso perderam o pagamento.

As perícias realizadas também constataram que 1.131 trabalhadores estavam aptos a voltarem para o mercado de trabalho e tiveram o auxílio-doença cancelados.

A Superintendência do INSS em Mato Grosso do Sul também está com procedimento aberto para reabilitação profissional de 57 segurados. Essa medida é feita quando o trabalhador é considerado inapto para desenvolver a função que era contratado, mas pode retornar a trabalhar em outra área dentro da empresa que detém o registro.

O governo federal determinou a revisão dos benefícios com uma segunda perícia para tentar fazer economia. A previsão era de as medidas tomadas poderiam render até R$ 6,3 bilhões.

Tanto quem recebe auxílio-doença como tem aposentadoria por invalidez foi submetido à análise dos médicos do INSS.

De acordo com o Diário Oficial da União desta terça-feira (1º), a nova chamada ocorre após uma tentativa do órgão de notificar os beneficiados pelo correio.

As correspondências não teriam chegado porque os dados dos endereços indicados no cadastro do Sistema Único de Benefícios estariam incompletos ou desatualizados. As informações são da Agência Brasil.

CASO DE INTERNAÇÃO

Caso o segurado se encontre internado ou enfermo e não puder comparecer à perícia deverá pedir a uma pessoa de sua confiança que informe ao INSS, em uma de suas agências sobre o impedimento.

É necessário que esse representante apresente, na ocasião, a identidade do segurado e um documento que comprove o impedimento. Com isso, ele poderá solicitar ao beneficiário uma perícia hospitalar ou domiciliar.

PERÍCIA

No momento da perícia, o segurado deve apresentar toda a documentação médica que justifique o recebimento do benefício, como atestados, laudos, receitas e exames.

Ao todo, 530 mil benefícios de auxílio-doença serão revisados no Brasil, além de mais de 1 milhão de aposentadorias por invalidez.

Até meados de julho, foram realizadas quase 200 mil perícias em todo o país. Como resultado, 160 mil pessoas tiveram o benefício cancelado por não precisarem mais recebê-lo.




Untitled Document
© NAVIRAÍ EM FOCO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS