Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Policial civil sofre emboscada e é executado com 30 tiros de fuzil em Ponta Porã

Data da Postagem: 07/03/2018 | Fonte: Campo Grande News
(Foto: Divulgação).

O policial civil Wescley Vasconcelos, ou “baiano” como era conhecido, foi executado com 30 tiros de fuzil AK 47 calibre 7.62, na tarde de ontem, terça-feira (6), na cidade de Ponta Porã, município de Mato Grosso do Sul na fronteira com o Paraguai.

Conforme a polícia, Wescley seguia em um veículo oficial modelo Fiat Siena, de cor preta, quando o carro foi atingido pelos tiros, na Rua Tuiuti, já próximo a sua residência. As informações preliminares são de que dois suspeitos, abordo de um veículo veiculo modelo Civic, branco, teriam atirado contra no policial.

Uma mulher, estagiária na delegacia de polícia de Ponta Porã, que também estava no carro, foi atingida pelos disparos. Ela foi socorrida e encaminhada ao Hospital Regional da cidade, e não corre risco de morte, segundo o Sinpol-MS (Sindicato dos Policiais Civis em Mato Grosso do Sul).

As imagens de câmeras de segurança na região serão coletadas para ajudar na identificação dos pistoleiros e a encontrar o veiculo utilizado no assassinato. 

Equipes dos Garras (Del. Esp. De Repressão a Roubos a Banco, Assaltos e Sequestros); GOE (Grupo de Operações Especiais) e Defron (Delegacia de Repressão aos Crimes de Fronteira), foram para Ponta Porã, ajudar nas investigações que seguirão sobre o comando da DEH (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes de Homicídios) de Campo Grande.

Wescley era lotado no 1º DP (Departamento de Polícia) Civil de Ponta Porã. Ele morava a 600 metros da delegacia e tinha ido em casa buscar algo no fim do dia quando sofreu a emboscada.

Em nota o Sinpol lamentou a morte do oficial. “Ele foi covardemente assassinado com disparos de fuzis enquanto dirigia uma viatura descaracterizada”.“O assassinato de um policial civil é uma afronta ao próprio Estado. É preciso elucidar rapidamente o crime e punir os criminosos com o rigor da lei”.

Duas equipes do sindicato também foram para Ponta Porã para dar suporte à família e aos colegas de trabalho de Wescley.

 Wescley Vasconcelos era investigador do SIG (Setor de Investigações Gerais) de Ponta Porã. (Foto: Reprodução Facebook)




Untitled Document
© NAVIRAÍ EM FOCO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS