Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Caso Vitória: Delegado diz que 'linha principal seria de execução por vingança

Data da Postagem: 23/06/2018 | Fonte: Por G1 Sorocaba e Jundiaí
Divulgação

A Polícia Civil informou que a principal linha de investigação da morte da adolescente Vitória Gabrielly Guimarães Vaz, de 12 anos, é de vingança.

A garota foi encontrada morta no dia 16 de junho em uma área de mata, às margens de uma estrada de terra no bairro Caxambu, em Araçariguama. Vitória Gabrielly estava desaparecida havia oito dias, quando saiu para andar de patins e não foi mais vista.

Segundo o delegado seccional de Sorocaba, Marcelo Carriel, a forma como o corpo da garota estava indica violência para caracterizar o crime.

 

“A hipótese, não de autoria, mas de circunstância e motivação, da forma como o corpo foi encontrado, pelo local, pelas amarras, pela forma que ela estava amarrada, a linha principal seria de execução por vingança.”

 

Ainda conforme Carriel, o motivo da suposta vingança é desconhecido e outra hipótese é que Vitória foi morta por engano, pois todo o histórico da família da garota não aponta que eles sofreriam algum tipo de represália.

 

“Se foi por engano, se vingar essa versão, quem seria o alvo correto?”, questiona o delegado, explicando que essa é uma das respostas que buscam.

A Secretaria de Segurança Pública divulgou que está oferecendo uma recompensa de até R$ 50 mil para audar a desvendar o caso.

Asfixia

As primeiras provas colhidas por peritos do Instituto de Criminalística (IC) de São Paulo indicam que Vitória Gabrielly foi morta por asfixia e não por estrangulamento. A menina tinha uma meia na boca, o que indica a versão.

O corpo da menina foi encontrado a sete quilômetros do ginásio onde ela foi vista pela ultima vez. Uma câmera de segurança registrou a menina andando de patins no dia que desapareceu.

Segundo as investigações, o corpo de Vitória estava amarrado a uma árvore. Uma pessoa cortou as cordas antes da polícia chegar.

A adolescente tinha marcas nos tornozelos e nos punhos e não tinha sinais de estrangulamento nem de abuso sexual.




Untitled Document
© NAVIRAÍ EM FOCO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS