Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Três homens são executados na fronteira do Paraguai com o Brasil; dois suspeitos são presos

Data da Postagem: 11/02/2019 | Fonte: G1 MS
Divulgação

Em um novo capítulo da guerra pelo comando do tráfico de drogas na região de fronteira entre o Paraguai e o Brasil, três homens foram executados na noite de sábado (9), na cidade paraguaia de Zanja Pytã, divisa com o distrito de Sanga Puitã, em Ponta Porã, Mato Grosso do Sul. Poucas horas depois do crime, dois suspeitos, fortemente armados, foram presos.

A fronteira do Brasil com o Paraguai, na região sul de Mato Grosso do Sul, sempre foi marcada por execuções, tiroteios, tráfico de drogas e armas. O local é uma das principais portas de entrada de entorpecentes e armas de grosso calibre no país.

A característica violenta da região ganhou ares de guerra nos últimos anos com a disputa pelo controle do local entre facções criminosas. Junho de 2016 marca a intensificação desta guerra com a morte de Jorge Rafaat, conhecido como "Rei da Fronteira". Só em 2018, 30 pessoas foram mortas.

Segundo a polícia paraguaia, a execução de sábado ocorreu por volta das 21h. As três vítimas, o paraguaio César Ortiz Zorrilla, de 38 anos e os brasileiros Alessandro Núnez de Moura e Gabriel Zaracho Moura, estavam dentro de um carro parado em frente uma conveniência, próxima a linha internacional que separa o Paraguai do Brasil, quando vários homens desceram de uma caminhonete e começaram a fazer disparos contra eles.

Zorrilla, que seria o alvo principal dos atiradores, ainda teria sacado uma arma para tentar se defender, mas não conseguiu e acabou morrendo junto com os dois brasileiros. A polícia do país vizinho investiga se o paraguaio seria integrante do grupo do traficante brasileiro Jarvis Pavão, apontado pela Polícia Federal como um dos maiores fornecedores de cocaína do Brasil.

Poucas horas depois da execução em Zanja Pytã a polícia paraguaia prendeu dois suspeitos de participação no crime: Nelson Mussi Espinola e Ismael Encizo. Segundo as autoridades do país vizinho, eles chegaram até os dois por meio do serviço de inteligência. Com a dupla foram apreendidas várias armas de grosso calibre como uma metralhadora 7,62 milímetros, uma espingarda calibre 12, coletes táticos, carregadores e vários cartuchos.




Untitled Document
© NAVIRAÍ EM FOCO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS