Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Em menos de 4 horas, dois são mortos e um sobrevive em ataques na fronteira

Data da Postagem: 28/10/2019 | Fonte: Midia Max

Em um intervalo de quatro horas, dois homens foram executados e um conseguiu sobreviver em ataques ocorridos na fronteira. Francisco André Andrade de Freitas e Marcial Blanco, foram mortos com uma diferença de meia hora apenas nos ataques de sábado. Cerca de quatro horas depois a terceira vítima sobreviveu aos ataques que ocorreram na casa de seu pai.

O primeiro crime ocorreu por volta das 20h de sábado (26), Francisco de 42 anos, estava andando pelas ruas de Ponta Porã, quando começou a ser perseguido por um pistoleiro.

Ele foi atingido por vários tiros, mas conseguiu fugir e se esconder ao lado de um salão paroquial de uma igreja. Ele foi encontrado pelo pistoleiro que acabou atirando em sua cabeça, antes disso a vítima chegou a implorar para não morrer.

A vítima havia sido beneficiada com o sistema prisional aberto no último dia 12 deste mês. Francisco estava preso por tráfico de drogas e violência doméstica.

A segunda vítima de ataques na fronteira foi Marcial Blanco de 50 anos, o crime aconteceu por volta das 20h30 também de sábado (26). A vítima estava em uma pista de corrida de cavalos, na colônia de Bela Vista do Norte quando dois homens chegaram em uma motocicleta e atiraram contra a vítima. Os pistoleiros fugiram em seguida e não há informações sobre a motivação para o crime.

A terceira vítima conseguiu fugir. Marcelo Valério Benitez Peña de 23 anos, que cumpria prisão domiciliar foi atacada por um grupo armado com fuzis, em Pedro Juan Caballero na fronteira com Ponta Porã.

O ataque aconteceu por volta da 00h45 de domingo (27), quando quatro homens armados com fuzis chegaram em um carro e fizeram vários disparos contra a casa que pertence ao pai de Marcelo. Um cachorro que estava na varanda acabou morrendo fuzilado pelos pistoleiros, que fugiram.

Assim como Francisco, Marcelo também tinha passagens policiais e teria sido beneficiado com prisão domiciliar após fugir de policiais paraguaios em 5 de setembro deste ano.

 




Untitled Document
© NAVIRAÍ EM FOCO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS