Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Mulher é presa suspeita de torturar filho, em Querência do Norte: 'Meu menino é teimoso', afirmou em depoimento.

Data da Postagem: 12/04/2021 | Fonte: g1
divulgação

Uma mulher, de 26 anos, foi presa na quinta-feira (8) suspeita de torturar o filho de três anos, em Querência do Norte, no noroeste do Paraná. A Polícia Civil foi chamada após uma denúncia.

Em um vídeo, é possível ver que a mãe bate no rosto, na cabeça e em várias partes do corpo da criança com um chinelo. As imagens, acima, foram congeladas porque são fortes. O material original foi apreendido e incluído no inquérito.

Em depoimento à polícia, a mulher tentou justificar as agressões. A imagem da mãe foi borrada porque ao identificar a mãe, também se identifica a criança.

"O meu menino é um pouco teimoso. Eu falo para ele 'sai daí', ele fala 'não'. Aí eu fui para pegar ele para trazer, e ele saiu correndo de mim, ficou rodeando a casa assim. Aí eu fiquei chamando, chamando, chamando, aí eu acabei ficando nervosa. Eu estou parando de fumar, tem dois dias que eu não fumo, e eu comecei a ficar nervosa", disse a mãe.

A polícia e o Conselho Tutelar encontraram o menino em casa com a mulher, onde moram há cerca de um mês, depois de terem se mudado de Naviraí (MS).

Fotos feitas pelo conselho mostram que o menino possui machucados e cicatrizes no corpo.

 

A mulher teve a prisão temporária convertida em prisão preventiva, nesta sexta-feira (9), pelo juiz Leonardo Aleksander Ferraz Sforza, da Vara Criminal de Loanda.

O delegado Dimitri Monteiro afirma que ela deverá responder por prática de tortura.

"As lesões foram prolongadas. A intensidade das lesões e a região em que foram aplicadas, fez com que a gente aplicasse o crime de tortura", afirmou Monteiro.

A criança foi levada para um abrigo da cidade, enquanto o Conselho Tutelar tenta localizar o pai ou algum outro familiar.






Untitled Document
© NAVIRAÍ EM FOCO | TODOS OS DIREITOS RESERVADOS